Seguidores

Páginas

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Conchita e o dízimo













 
CONCHITA e o dízimo
FIGURA 1:
-- Oi, crianças! Sabem quem eu sou? Sou uma abelha. Meu nome é Conchita e 
moro numa grande colméia. Sou ainda criança, mas sei que quando crescer, 
vou me tornar uma operária que dará muita alegria à rainha.
Outro dia, meu amigo, o bem-te-vi, me perguntou:
--- Por que vocês têm uma rainha? Nós, os pássaros, não temos. 
Como é a sua rainha?
Eu respondi ao meu amigo:
--- A rainha é a maior abelha da colméia. Todos a amam, respeitam 
trabalham para que seu reino cresça, pois dela nascerão novas abelhas. 
Sem a rainha, a colméia acabaria, pois ela bota muitos ovos por dia. 
A cada dia, nascem novas abelhas na família da rainha.
--- Mas todos os dias nascem abelhas na colméia? – perguntou 
assustado meu amigo – E vocês não passam fome?
--- Não. - eu respondi – Para que ninguém passe necessidades, 
o trabalho da colméia é distribuído entre suas operárias.
--- E o que faz uma operária? – perguntou o bem-te-vi – Posso 
conhecer o trabalho de uma delas?
-- Está bem, amigo, vou apresentar-lhe uma de minhas amigas, 
e ela mesma dirá qual é o seu trabalho. E vocês, crianças, querem 
conhecer uma operária? Pois bem, aí está ela.
FIGURA 2:
--- Olá, eu sou uma operária. Meu trabalho na colméia é muito 
importante. Eu e minhas amigas produzimos mel e cera e cuidamos 
para que nunca falte alimento.
--- Aqui na colméia moram também os zangões, que são os maridos 
da rainha, mas também seus servidores. Eles não trabalham, por isso 


a lei da colméia diz que se faltar alimento, os zangões devem ser mortos.
FIGURA 3:
-- Na nossa colméia todos vivem felizes, pois a rainha é justa e bondosa. 
Ela escreveu um livro especial que todos respeitam muito. É o “Livro do 
Bem-Viver”. Ele é muito precioso para nós, pois ali estão escritas todas 
as promessas da rainha. E quando ela promete alguma coisa, ela 
cumpre. A rainha nunca falha em suas promessas; e tudo o que ela
 pede é que todas trabalhem e dêem a décima parte do alimento para o
 sustento da colméia.
FIGURA 4:
-- Bem, agora que vocês já conhecem como funciona a minha “casa”,
 vou contar a vocês uma história triste que aconteceu ali. Certa ocasião, 
algumas operárias não quiseram mais trabalhar e outras reclamavam: 
--- Eu já dou mais do que o suficiente em trabalho e comida. Não vou mais 
trabalhar!
Havia as que gritavam revoltadas: --- Estão mexendo no meu estômago! 
Não vou mais à procura de comida!
Então foi um alvoroço total! Um zum-zum-zum tremendo! Como resultado, 
a comida começou a faltar.
Os dias foram passando e a fome apertando. Uma operária, guarda da 
rainha, voou gritando pela colméia: “Todos precisam contribuir com 
seu trabalho e a décima parte do seu alimento! Os ninhos precisam 
ser cuidados e os zangões precisarão ser mortos!”

FIGURA 5:
--- “Epa! Isso não! – Os zangões ficaram apavorados. – Vamos correndo 
falar com a rainha!”
--- Rainha, por favor, a senhora precisa ter uma conversa com a colméia, 
pois além de estarmos morrendo de fome, estamos também “morrendo” 
de medo de sermos mortos!
FIGURA 6:
Então a rainha convocou a colméia para uma reunião, e no seu 
“Livro do Bem-Viver”, leu o seguinte: “Todos devem trazer a décima 
parte do seu alimento, para que não falte mantimento na minha colméia. 
Assim, ninguém passará necessidade, todos serão felizes e eu não permitirei 
que abelha alguma venha roubar nosso mel.”
--- Daí, amiguinhos, eu, a Conchita, foi quem teve uma grande surpresa, 
pois eu não sabia que crianças também podiam participar. Quando ouvi 
a rainha dizendo que todos deveriam contribuir, fiquei animada. Então 
fui correndo falar com a mamãe e lhe perguntei: “Mamãe! Mamãe! 
Posso conseguir alimento e contribuir com a colméia?” – “Sim, Conchita, 
- ela respondeu – a rainha merece o melhor que pudermos oferecer.”
FIGURA 7:
-Vocês, crianças, sabem de onde nós, abelhas, retiramos alimento? 
Sim, das flores! Retiramos dali um pozinho chamado pólen e néctar, 
e com eles fabricamos o mel.
Depois que falei com a mamãe, saí muito feliz. Voei de flor em flor e 
trouxe todo o alimento que consegui carregar. E na colméia entreguei 
a décima parte de tudo, para que fosse usado da melhor forma. 
As minhas amigas também reconheceram que nossa rainha estava 
certa e voltaram a trabalhar. Todos voltaram a ser felizes, mas 
principalmente os zangões, que agora não precisariam ser mortos.
FIGURA 8:
-Agora sei que dar é melhor do que receber, pois dando, posso 
participar no auxílio das necessidades de todos. E como na colméia 
todos são irmãos, eu ajudo a fazer do reino um lugar melhor para 
se viver.E vocês, amiguinhos? Já pensaram em como podem participar 
do sustento da igreja de onde fazem parte? Ela se parece muito com uma 
colméia. Ali todos devem se amar e seguir os ensinos que estão no Livro 
do Rei Jesus, que é a Bíblia. Ele tem um grande interesse em que sua 
igreja cresça, e para isso, nós podemos participar com nossas orações, 
trabalho, nossa oferta e participação nos cultos e na Escola Bíblica.

 "Tirado do livro da editora Redijo texto: Suely Flávio Skiyama e desenho deTadeu k. Sakiyama"

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...